Seja bem-vindo

6 de Novembro de 2014

“O rebentar e cair da folha”

Trata-se de uma expressão muito utilizada pelo povo quando associada à mortalidade normal mas que mais acentuada e que acontece nos períodos de Março/Abril e Setembro/Outubro portanto, inícios da Primavera e Outono, respectivamente.


Este fenómeno afecta sobretudo os indivíduos incluídos na faixa etária de maior idade que, mais frágeis aos rigores da natureza, (períodos de frio, humidade elevada e situações de sol baixo, associadas por vezes, a condições precárias) mais sofrem.


É nos meios com menor índice de população, nomeadamente as aldeias do interior do país, que os resultados são devastadores em que uma perda de, por exemplo, vinte vidas / ano, tem um impacto considerável no aspecto demográfico. É onde a expressão “o rebentar e cair da folha” é tida em ponderação e com muito respeito.

xxcucoxx

1 de Novembro de 2014

Site Louriçal do Campo ("Historigrama")

É com muito agrado que, também por obrigação, quero aqui dar a conhecer ao público em geral que, passados seis meses do lançamento do site oficial de Louriçal do Campo, são registados cerca de 3.000 visitantes. Eis a prova final de que Louriçal do Campo necessitava deste trabalho para bem desta toda comunidade e que a este local diz respeito.



Um agradecimento  muito especial pelas vossas visitas a este espaço que é tão nosso e, claro está, sempre disponível para inaltecer em prol de Lourçal do Campo. Conto e sempre com o vosso contributo.

Bem-hajam.

xxcucoxx

13 de Outubro de 2014

Igreja Matriz de Louriçal do Campo - Campanha de obras'2014

Boa noite Amigos,

Embora já com alguns testemunhos de culto no local, reza a história que a Igreja Matriz de Louriçal do Campo fora construída no lugar que a conhecemos no ano de 1559. Desde essa data, algumas obras de melhoramento foram tomadas em consideração. Entre 1784 e 1814, foram feitos vários apelos para a subida e reboco das paredes da "nossa" Igreja. Face aos recursos existentes, subiram-se as paredes mas sem reboco. Em 1880, foi mandada fazer a torre da Igreja.

Em 1926, foram feiras obras de ampliação da Igreja bem como o restauro total do seu interior. Em 1959, já o Pde Sequeira escrevia aquando do prolongamento da nave lateral e acrescento da sacristia. Em 2008, foram efectuadas obras de melhoramento no que conserne à sua cobertura - renovação total do seu telhado-.

Setembro de 2014, inicio dos trabalhos de requalificação e aproveitamento quanto possível do seu interior. Sabemos que a obra deverá ser entregue, segundo os detalhes do contrato de obra, a 31 de Dezembro do corrente. Damos a conhecer também que, segundo as fontes, as obras estão a correr a bom ritmo.

A todos os intervenientes, sabemos das suas capacidades, por essa razão, a população de Louriçal do Campo espera anciosamente o final desta campanha de obras para apreciar o resultado final que, de certo, apreciar o resultado final.

Nossa Sra do Sameiro numa perspectiva diferente do habitual

Votos de boa campanha aos intervenientes.

Saudações,

xxcucoxx

13 de Setembro de 2014

As vindimas de Setembro


"Por este ano, a uva está atrasada. O verão não facilitou o processo natural do amadurecimento da uva”. Estas são as palavras da actualidade entre os habitantes da nossa Aldeia.

De facto, o calor de verão que se fez sentir este ano, não abondou pelas nossas bandas e daí a uva estar atrasada para a vindima em cerca de duas semanas. Por outro lado, com a entrada no mês de Setembro, (embora sem relevo de maior), as primeiras chuvas já se fizeram sentir. O que pode provocar estragos e denunciar uma bela colheita.

A vindima realiza-se no decorrer do mês de Setembro reunindo assim, familiares e amigos para a recolha das uvas, entre vinhas e paredões. Após a apanha, com a ajuda de tractores, transportam-se, normalmente, para as casas dos seus proprietários.

Em Louriçal do Campo, qualquer “casa” que se prese por ser detentor de vinhas, tem em suas habitações reservado um espaço, (normalmente nas zonas de arrecadação), apropriado para as azáfamas do vinho. Para além do local das cubas que mais tarde irão armazenar o vinho, existe também um pequeno lagar (conhecido por pio), onde são esmagadas as uvas para posterior fermentação.

Não abdicando do bom estado da uva, a sua fermentação é, quase de certo, provavelmente o processo mais delicado. As medidas de acidez e açúcar são factores de relevo e que deverão ser tomadas à risca para a obtenção de um bom vinho.

Por um período de sete dias, a massa deverá ser envolvida pelo menos duas vezes ao dia de modo a que a fermentação fique feita nas devidas condições. Passado este período, prossegue-se ao armazenamento deste líquido (mostro) tão precioso para cubas apropriadas para o efeito.
video

O vinho ainda “verde” [o mosto], fica em repouso até “ao virar" com o frio de Inverno pois, segundo o ditado português, “Em São Martinho, vai-se à adega e prova-se o vinho”.

xxcuxoxx