Seja bem-vindo

22 de Abril de 2014

Apresentação do site







 

Tal como anunciado, foi no passado dia 19 de Abril, nas instalações do Centro de Animação Cultural em Louriçal do Campo, apresentado o site dedicado à Aldeia.


Trata-se de um projecto idealizado nos finais do ano de 2008 que, pela recolha, tratamento e edição da informação alcançada, só agora foi possível a sua apresentação ao público em geral. 


O objectivo deste projecto fundamente-se sobretudo na promoção da Aldeia com especial destaque para o conhecimento das suas origens e cultura como povo.


Alguns dos temas estarão sujeitos a um maior desenvolvimento mas também  a inclusão de outros, pelo que o projecto encontrar-se-á em permanente actualização. Para o efeito, agradece-se a todos a disponibilidade de novos elementos que possam enriquecer ainda mais este espaço que é de todos.



A apresentação decorreu ao longo de hora e meia e contou com a presença de cerca de 100 participantes.


Este evento teve o apoio da Junta de Freguesia de Louriçal do Campo e Centro de Dia de São Bento que disponibilizou as instalações e um pequeno lanche aos participantes.



carlosdomingues@louricaldocampo.com

Bem haja a todos os envolvidos.

xxcucoxx



31 de Março de 2014

Uma cultura, um povo - LOURIÇAL DO CAMPO


Palavras para que??? Contamos com a vossa presença afim de conhecer as origens e presente de um povo - Louriçal do Campo.

Contamos com a tua presença para a apresentação e divulgação ao mundo de uma bela a acolhedora aldeia da Beira Baixa - Louriçal do Campo.

xxcucoxx

18 de Março de 2014

Vamos Reflorestar a Gardunha




O dia mundial da árvore, foi o dia escolhido pela promotora da ideia, a Associação de Desenvolvimento Territorial – Descobrindo -, para a reflorestação da Serra da Gardunha onde serão plantadas 3500 árvores. Entre castanheiros, faias, carvalho robur e carvalho negral, entre outras, serão estas as espécies que serão plantadas em diferentes locais da Serra da Gardunha.

Esta acção dominada “Vamos reflorestar a Gardunha” surge no seguimento da proposta anunciada no evento realizado no ano passado, Solstício - Festival da Natureza - que se realizou mas imediações do antigo Colégio de São Fiel.

A iniciativa tem data marcada para 22 de Março com ponto de encontro junto às piscinas de São Fiel com hora de partida, pelas 9 horas da manhã. Haverá transporte gratuito até aos locais de plantação,

O regresso dos participantes será feito, para quem desejar, numa caminhada seguido de almoço e convívio.

A inscrição dos participantes é obrigatória e deverá ser feita em http://www.descobrindo.pt/node/26

Os intervenientes deverão munir-se de ferramentas adequadas à plantação (sacho ou enxada).

Mais info; http://www.descobrindo.pt

xxcucoxx

19 de Fevereiro de 2014

Jogos dos meus tempos...





Hoje, vivi em memória, a nostalgia dos jogos tradicionais que jogávamos nas ruas da aldeia enquanto crianças. As ruas de terra batida que, mais tarde foram calcetadas por pequenos cubos de cimento e granito, juntavam as várias crianças que por ali viviam perto.
 
Entre o jogo do cinto, de futebol e do mundo, nós os rapazes, jogávamos também ao jogo do berlinde. Mais conhecido, “ao bilas”.
 
Neste jogo de rua, os participantes podiam ser vários desde que tivessem, no mínimo, um “bilas” no bolso das calças.
 
Jogava-se habitualmente num espaço plano, de terra batida, no qual se faziam três covas em linha, afastadas entre si, cerca de 50 cm.
 
Para se poder identificar quem seria o primeiro no jogo, cada participante lançava o seu “bilas” para a cova mais afastada. O que conseguisse fazer o seu “bilas” entrar na cova, ou ficar mais perto dela, dava início ao jogo, determinando-se, assim, a ordem de saída dos jogadores.
 
Cada participante tentava colocar o seu berlinde sucessivamente em cada uma das três covas, lançando-o com os dedos, e tendo direito a avançar um palmo para dar "impulso".
 
Quando o jogador conseguia fazer chegar o seu berlinde à última cova, retomava o mesmo percurso no sentido oposto e de seguida, à cova do meio, para poder ganhar o direito a "matar".
 
Ao concluir o percurso, o jogador ganhava esse direito e assim tentar atingir o berlinde dos outros jogadores, para poder vencer o jogo.
 
Para facilitar o percurso, o jogador podia ainda acertar nos berlindes dos adversários, ganhando o direito à cova que, nessa jogada, pretendia alcançar.
 
Se, por acidente, o berlinde do adversário caísse numa cova não desejada, esse berlinde, teria de ser retirado com três lançamentos contra o mesmo. Se o lançador falhasse, perdia a sua vez sendo que o berlinde do adversário iria ganhar a posição daquela cova passando-se a vez de jogo ao adversário.
 
xxcucoxx